quarta-feira, 2 de maio de 2012

A Falecida, esta metamorfose ambulante

A Falecida é um fanzine que surgiu em 1991, na cidade de Ribeirão Preto/SP, produzido por Angelo Davanço, Zé Luís Gomes e Milton Bilar Montero. De lá para cá foram lançadas 12 edições em papel, sempre trazendo entrevistas com gente da música, dos quadrinhos, da literatura e das artes em geral. De periodicidade irregular, como todo zine que se preze, algumas edições de A Falecida foram lançadas em eventos variados, como shows de rock e recitais de piano.

Ao longo de sua existência o zine já publicou entrevistas com Titãs, Ira!, Marcelo Nova, Magic Slim, Jorge Mautner, Renato Russo, estampou desenhos de Robert Crumb, Gilbert Shelton, Pelicano, Laerte, e mostrou a palavra de Cioran, Artaud, Leminski e o patrono da marginalia, Charles Bukowski.

Sem se restringir ao que cabe nas vinte e poucas páginas de papel, A Falecida também já experimentou uma versão em rádio livre, com o programa Babel Rádio Zine, que durante dois anos levou o mesmo espírito zineiro para as ondas da City FM 102,7.

Depois veio a Internet, com suas múltiplas possibilidades. E depois de vários exercícios de tentativa e erro, penso que cheguei ao formato definitivo da versão on-line do zine A Falecida. Sim, este blog que você começa a conhecer agora.

Um salve a todos os zineiros de papel que cruzaram o caminho da Falecida - ao Kazi, ao Bruno Privatti, ao Bira Dornelles, ao Edgard Guimarães, ao Valdir Ramos, enfim, a todos que um dia se aventuraram ou continuam nesta viagem fascinante via Correios, com escala obrigatória na copiadora mais perto de casa.


A Falecida, subterrânea, às vezes vem à tona...

Angelo Davanço
fanzineiro e jornalista, necessariamente nesta ordem

Nenhum comentário:

Postar um comentário